Projeto Canadá: uma família experimentando a vida em Toronto

Família em TorontoVocê pode imigrar para outro país pela vontade de iniciar uma nova história ou simplesmente para curtir a experiência de viver no exterior com sua família. Os motivos são inúmeros, e acreditem, nem todo mundo desembarca no Canadá com a certeza absoluta de aqui é o lugar.

E foi assim que a Emilia e o Seyr resolveram pausar suas carreiras profissionais em Brasília (DF) para viver esse tempo na América do Norte. Se ele se estenderá por muitos anos, isso eles ainda não sabem. Mas, segundo Emilia, tudo que passaram desde 2017, a princípio, já valeu o investimento. Eles não vieram com a mesma intenção de grande parte dos brasileiros, portanto preferem curtir um dia de cada vez.

Confira a história desta família que eu arrisco em dizer que não vai mais conseguir abandonar a terra do maple syrup. 

TORONTO

Canadiando: Afinal, Por que vocês escolheram Toronto?
Emilia: A princípio iríamos para Manitoba, mas acabamos em Ontário porque a situação do college aqui era melhor. E hoje agradeço muito. Sempre digo para as pessoas estarem abertas quando ocorrem mudanças de última hora.  

Canadiando: E o que realmente motivou essa vinda para o Canadá?
Emilia: Tínhamos muita vontade de morar fora, não era a necessidade de ir embora do Brasil que vejo em grande parte dos casos. Estávamos com uma vida ótima mas queríamos ter essa experiência por um tempo. Também pensamos muito em como seria interessante essa vivência para nossa filha. 

Canadiando: Foi tudo certo na chegada em terras canadenses?
Emilia:  Sim, tudo funcionou conforme o planejado. Eu e a Beatriz  viemos como estudantes e o meu marido com o Open Work Permit. Eu fiz o curso de Assistente de Fisioterapia (1 ano e 6 meses) no Anderson College. Gostei muito, definitivamente valeu a pena. No entanto, hoje trabalho como auxiliar numa clínica odontológica. Tive essa oportunidade antes e achei importante ver como as coisas funcionam na minha área de formação  no Brasil.

Canadiando: E a sua filha está gostando da cidade? Como foi a adaptação dela?
Emilia: Ela se adaptou super bem. Está adorando. Já tinha noção de inglês e aqui teve uma professora ESL (English as a Second Language) só nas primeiras semanas disponibilizada pela própria escola. Por fim preferiu ficar junto com a turma. Beatriz é muito independente e achou que aprenderia mais rápido se estivesse entre os colegas. Nada mais coerente. 

Canadiando: Qual era a fluência de inglês da família?
Emilia: Nosso inglês era considerado avançado no Brasil, tínhamos concluído um curso e estávamos confiantes. Infelizmente, como todos dizem, quando chegamos descobrimos o quanto o idioma ainda precisava melhorar. Mesmo com a fluência, é importante sempre ir além.

Canadiando: Vocês costumam usar o transporte público da cidade ou compraram carro?
Emilia: Toronto é ótima neste ponto. Usamos diariamente o metrô, mas compramos carro porque adoramos viajar nos finais de semana pra conhecer as cidades vizinhas. 

A MUDANÇA

Canadiando: Você já tinham vindo para o Canadá antes?
Emilia: Não. A primeira vez foi direto para morar.

Canadiando: A princípio, o que foi mais difícil deixar para trás?
Emilia: A família e os amigos e a nossa querida Igreja Presbiteriana Aliança, que faz muita falta até hoje.

Canadiando: Pelas suas pesquisas, para qual província você não iria? Por que?
Emilia: Eu não tenho uma província para a qual eu não iria, afinal cada uma tem seus atrativos. Eu sempre tive consciência do frio que faz em alguns lugares, e sabia também que British Columbia atraía muitos brasileiros por causa da temperatura elevada, embora eu não gostasse de muita chuva e Vancouver, segundo comentários, chove demais. Mas acho que qualquer lugar seria interessante. 

Canadiando: Qual a sua principal fonte de pesquisa sobre o Canadá?
Emilia: Consultamos o site oficial do governo canadense e alguns blogs e canais de YouTube.

Canadiando: Você comentou que usou o serviço de uma consultoria. Valeu a pena?
Emilia: Usei a De Boa no Mundo. Nossa experiência com a Ana Paula foi excelente, inclusive tenho ela hoje como uma grande amiga. Sempre que preciso de alguma orientação eu ligo pra pedir ajuda. 

Canadiando: A expectativa da vida no Canadá bateu com a realidade?
Emilia: Praticamente sim. Algumas diferenças culturais, questões principalmente relacionadas ao frio. Eu tinha a impressão que a vida era bem mais complicada no dias de grande nevasca. Puro engano, tudo segue normal: transporte público, trabalho, escola. De fato, o Canadense está muito bem adaptado ao frio e suas particularidades. 

Canadiando: O que você diria para quem está iniciando o seu Projeto Canadá?
Emilia: A mesma que escutei sempre: pesquise muito, não minimize a barreira da língua e venha com uma quantia em dinheiro razoável, principalmente se vier com filhos pequenos. Cada centavo fará diferença, pois o dinheiro praticamente some em segundos. De fato, morar no Canadá não é barato e no início tivemos que fazer aportes mensais do Brasil para arcar com todos os compromissos da família. 

Canadiando: O que teria feito diferente? Por que?
Emilia: Talvez uma visita exploratória tivesse sido interessante. Porque teríamos uma noção prévia de como funciona a vida por aqui.

Canadiando: Que conselho você gostaria ter recebido antes de vir?
Emilia: Eu tinha muito medo do inverno e cheguei aqui achando que seria muito mais difícil. A princípio tiramos de letra, mas tem coisas que só aprendemos vivendo mesmo. 🍁

👉🏻 Se você também tem vontade de estudar no Canadá clique aqui e agende a sua consultoria educacional gratuita.

Projeto Canadá
O Projeto Canadá
 busca, sobretudo, relatar as histórias dos imigrantes de língua portuguesa que estão recomeçando a vida na América do Norte. 
🎯 Se você pretende ou já mora no Canadá e quer dividir a sua jornada e ajudar muitas pessoas, mande uma mensagem clicando aqui.
É compartilhando experiências que vamos crescendo a nossa rede. Leia as histórias passadas e anote todas as dicas, com certeza elas serão úteis no seu planejamento. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *